Nihil(ismo)


Qual é o sentido das coisas quando as coisas não tem sentido?

As perguntas não têm respostas, isso nós já sabemos, as verdades há muito foram banidas desse universo. Nossos sentidos são tão falhos, nossas mentes tão fechadas…
Não, não estou de forma alguma deprimido. Ainda acho que a vida é bela… e sem sentido.

No final desse texto, vais ver que é apenas um vazio de palavras, assim como qualquer texto, e como ao final de qualquer leitura de revista, ou livro, vais terminar de ler e sentar-se para um bate papo virtual, ou para assistir TV, vais pensar em coisas mais mundanas, deixando esses assuntos que transcendem para os filósofos ou religiosos.

Tua vida tem sentido, oh cidadão comum! O sentido comum das coisas, o sentido da perpetuação da espécie, mesmo que seja um sentido alheio ao verdadeiro sentido: de não ter sentido!

Proponho-te então a pensar na verdadeira motivação da existência. Desde já te digo que são pensamentos perigosos, e vais te decepcionar muito no caminho.
Qual a razão de trabalhar tanto, de consumir tanto, de fazer coisas que não gostamos? Qual a finalidade de tudo isso? Não sabemos nem ao menos para onde vamos! Céu? Inferno? Bahh!
Alguns dizem que a vida tem valor quando tem uma finalidade, um sentido. Eu penso o contrário, os sentidos são para camuflar insatisfações, tentamos viver o amanhã para receber o último pagamento do mês e comprar aquele carro do ano. A partir do momento que viver sem um destino, como um mochileiro, um viajante , percebe a satisfação e a eternidade de cada momento, aceitando que a vida não tem sentido, mas que isso não tira a beleza da vida.

Não sei qual a motivação desse texto, mas espero que tenham gostado dele. Carpe Diem.

 

lucastamoios

 

One thought on “Nihil(ismo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *