Quem são eles

O telefone tocou cedo e acordou Tomáz.

– Ô, Tom, ficou um negócio pendente de ontem, tem como ‘cê chegar mais cedo pra ajudar a gente?

O pessoal do turno da noite sempre fazia bagunça, tinha se acostumado. Levantou e vestiu seu terno rapidamente, passou no café antes de ir pro Escritório. Lá pegou a papelada e seguiu para o hospital. Foi a pé porque faz bem pra saúde, sabe como é, viver mais. Mentira. O hospital era quatro quadras além.
… 

 

Águas de março

As cataratas do iguaçu eram magníficas. Especialmente se vistas de dentro de casa. Casa bela, amarelinha, um galo no telhado, uma trepadeira na parede de trás. A visão daquele tanto de água o fez sentir um calorzinho na virilha, precisava ir ao banheiro. O calorzinho aumentava, mas pôde perceber a tempo que tudo não passava de um sonho.

Ainda bem que acordara. Bexiga em chamas. … 

 

Pítia do póstumo

Era fácil como nunca atingir objetivos naquela época. Tudo ao alcance da mão, tudo já fora feito antes. E, apesar disso, essa evolução dos meios gerou uma anomalia que era a própria crise. Foi pela facilidade que os humanos caíram.
… 

 

O coração partido

De pé à porta, ela vasculhou a sala cheia, apenas com os olhos, por um lugar.

Eu, que então contava quatorze incompletos – mas já ignorava os cinco dias faltosos na contagem -, tinha no peito aquele sentimento que acomete os jovens descuidados. De tanto ler estórias de heróis, via em toda donzela aquela princesa em apuros; e a princesa agora estava à porta, com seu dilema de sentar … 

 

Um conto de Natal

Coçou o queixo enquanto pensava em sua próxima jogada, o tabuleiro que ganhara de natal ainda conservava o cheiro de novo, e também ansiava por andar na bicicleta nova, jogar futebol e mergulhar com o snorkel recém comprado. Tudo seria um pouco melhor se tivesse alguém pra brincar.
…